Monday, December 3, 2007

Ganhar Asas – I PARTE

No dia 23 de Novembro, uma 6ªf, lá estava eu às 8h30 em ponto, na recepção da TAP, pronta para combater a minha única fobia (que eu saiba), a de voar. Sim, o meu pai é piloto e sim comecei a voar aos 6 anos num C-130 daqueles de carga que tremem por todos os lados, mas uma fobia é assim mesmo, aparece quando menos se espera e chateia.
Fui uma das primeiras a chegar e estava relativamente calma.
Aos poucos foram chegando os restantes fóbicos e às 9h já estávamos todos metidos numa sala com as mesas dispostas em U. Senti-me nos AA, “Olá, eu sou a Ana e tenho medo de voar.”
Éramos 10 a partilhar os nossos mais íntimos estados de alma. O Paulo, 56 anos, que já não voava há 25 e que estava no programa por incentivo da filha que queria passar o ano novo em Cabo Verde. A Augusta, 35 anos, que veio de Faro e que já não voava há 12 pois tinha receio de ter um ataque de pânico no avião e de não disporem de meios para a controlar. O Florival, 48 anos, que tinha chegado do Brasil no dia anterior (tem lá casa), mas que não gosta de voar pois apanha sempre turbulência e ainda são 8h de viagem. Sempre que voa deixa uma carta à mulher e à filha, just in case. A Isabel, 40 anos, que veio do Porto com o marido, para o seu baptismo de voo: só de pensar nisso ficava nervosa. A Cristina, também com histórico de ataques de pânico, que não voava há 15 anos. O Pedro e a Ana, que voavam mas obrigados, por motivos profissionais. E finalmente as duas Teresas, uma delas tinha posto um pacemaker há coisa de 3 anos e tinha receio de vir a precisar de assistência dentro do avião e a outra Teresa não se sentia confortável em viagens de longo curso.

Tínhamos todos um só objectivo: voar.

3 comments:

Uma passageira do C-130 said...

Uma fobia aparece quando menos se espera e se chateia!Sem se fazer anunciar ela instala-se e para «levantar vôo» leva o seu tempo.O apoio de pessoal especializado é importante,as mesas em U também mas a força está em nós e no nosso querer,adeus fobia,bom bater de asas!!

RING said...

Quero desejar muita Força às pessoas que estão a tentar ultrapassar as suas fobias e entram em grupos de terapia.

O Auto-conhecimento é muito importante para o ser humano se redescobrir... analisar, reflectir e confrontar com os seus medos.

Bem hajam, aos bem aventurados!

ps: Boas Viagens, Óscar-Kilo ;)

Danço, pois said...

beijinhos à passageira do c-130 e à minha companheira das danças ;)