Saturday, May 10, 2008

Um taxista diferente

Estamos acostumados a associar o espécime taxista ao mais puro grau da virilidade.
Homens na casa dos seus 60, amargurados com a vida, que se vingam com o pé no acelerador mal apanham uma recta. Para eles não existe mais ninguém nas rotundas que não eles, os semáforos sempre verdes, as passadeiras sem riscas. Sempre a bufar atingem o auge quando lhes mostramos uma nota de 10€ como se de uma verdadeira ofensa se tratasse. Ia eu preparada para apanhar um destes quando me deparo com um taxista verdadeiramente efeminado. A maneira de falar, os gestos, a roupa, uma verdadeira Drag Queen a cantarolar ao som da música que passava na rádio, autêntica disco night anos 60. Uma viagem deveras emocionante e diferente.

Longe

Tão Longe
Que Fazes
Palavras Distantes
Que Longe
Tão
Devagar
Que Passa
O Tempo
Parou
Olhares no Vazio
Nada a Dizer
Tudo a Adivinhar
O Silêncio
Tão Longe
Que Fazes.

Monday, May 5, 2008

Vamos ao que interessa

Roma estava um caos! Feriado também em Itália, também no dia 25 de Abril, também dia da Liberdade, também dias de eleições, também bom tempo e também Capela Sistina grátis no último domingo de cada mês. Capice? Para cada lado que nos virávamos deparávamo-nos com enchentes, grupos de turistas acompanhados dos respectivos guias que iam à frente com um lencinho em riste para ninguém se perder, pais, mães, tias, avós, filhos, netos, quase todos italianos (o vá para fora cá dentro faz sentido em Itália) aos empurrões no metro, tudo lambuzado de gelado e pizza, milhares de pessoas junto à Fontana di Trevi a atirar moedinhas e a jurar amor eterno, filas para o coliseu, pequenos-almoços a 20€, pés doridos após longas caminhadas de um dia, nódoas negras dos encontrões (os italianos não têm a noção de espaço), croissants que não são croissants, não...são cones..não, afinal croissant é sanduiche....ok, mas pode ser um croissant-cone-sanduiche com queijo ou fiambre? Não!!!! Dio Mio, croissant só pode ser doce!! Ai, está bem ó antipático... e muito, muito calor. Apesar de tudo, foi muito bom. Não vi o Papa, nem sequer a capela Sistina, mas também temos de ficar com bons motivos para voltar à belissima Roma, capice?

A minha Liberdade

No fim-de-semana do 25 de Abril a minha liberdade fez-me uma surpresa. Uma viagem a Roma. Foi a minha primeira viagem a seguir ao Ganhar Asas e só soube o destino que me esperava, no aeroporto. Devo dizer que ia bastante tranquila após uma semana a exercitar a minha respiração (já sabia que ia voar mas não sabia para onde). Cheguei ao aeroporto sem o chato do nervoso miudinho que fazia questão de me acompanhar e que me deixava paralisada de ansiedade. Não, desta vez consegui vencê-lo e pô-lo na ordem, afinal de contas quem é que manda aqui?? Entrei no avião com um sorriso nos lábios, cumprimentei a tripulação, sentei-me e apertei o cinto pronta para a descolagem, momento em que respirei um pouco mais. Quando o avião estabilizou, li uma revista (coisa que jamais faria em estado de ansiedade), estiquei as pernas e andei pelo corredor, fiz questão de explicar todos os sons e ruidos e lidei bem com a turbulência, que é desagradável mas não perigosa. Após 2h50 de viagem aterrámos em Roma e estava orgulhosa de mim própria. Viva a liberdade!

Não podia deixar de mencionar uma sondagem que a meu ver diz muito sobre o estado da nossa escolaridade: várias foram as pessoas que associaram o feriado à implantação da república ou mesmo à 1ª guerra mundial, afinal o que realmente interessa é que é dia de descanso e com ponte, ainda melhor, não é verdade?