Wednesday, August 6, 2008

Poema em férias

“Vou-me até à Outra Banda
no barquinho da carreira.
Faz que anda mas não anda;
parece de brincadeira.
Planta-se o homem no leme.
Tudo ginga, range e treme.
Bufa o vapor na caldeira.
Um menino solta um grito;
assustou-se com o apito
do barquinho da carreira.
Todo ancho, tremelica
como um boneco de corda.
Nem sei se vai ou se fica.
Só se vê que tremelica
e oscila de borda a borda.”

António Gedeão - Adeus, Lisboa.

Dissemos adeus a Lisboa durante uma semanita e fomos até Tavira.
Bom tempo, boa comida, bela terra. Casa com vista para a ria formosa e para o mar. Há lá melhor que isto? Lá iamos todos os dias de manhã para a nossa prainha, Terra Estreita, verdadeiro paraíso de conchas. Apanhávamos o barco e faziamos um pequeno passeio pela ria até chegarmos ao mar. Pelo caminho passávamos pela “2 irmãs”, pela “Elsa Cristina” e pela “Sou a primeira”, algumas das traineiras que habitam a ria. Foi muito bom mas “Olá, Lisboa.”

2 comments:

Sr. Funesto said...

Não esquecer o "Vontade Indómita", "Três Irmãos" e "Cinco Manas".

Beijinhos com ondulação

Danço, pois said...

Estava à espera que completásses :)